Muito bacana!! Depois de anos sem ver o meu projetinho, que nem deu um mês de trabalho, ler um review de uma pessoa que nem conheço dando 5 estrelas, sendo que o cara baixou ele depois de sete anos do código feito, isso é muito legal!!

Motivador à enésima potência.

Eleições

Aproveitando a vontade de escrever e essas eleições malucas, vamos fazer uma batida e servir no Tumblr.

O PMDB ficou doze anos consecutivos no poder em Rio Grande e, em minha visão particular, no meio do segundo mandato já se pensava dono do governo ao invés de servidor do povo.

Nessa época, eu tinha forte convicção da necessidade de e da importância da alternância de poder para o bem de administração pública. Fiz campanha contra e comemorei quando, finalmente, em 2012 foi possível eleger outra representação na cidade.

Extrapolando o raciocínio para o plano nacional, fica evidente que o PT tomou para si o governo e pensa que é ele o próprio estado brasileiro. Doze anos no poder, algumas benfeitorias e outras trapalhadas, fora o caso do mensalão, sanguessugas, dólares em cuecas e estamos aqui, vendo a iminência de um quarto mandato consecutivo do mesmo partido.

É triste. E não há muitas alternativas, temos o PSDB, que confesso tem em seus quadros bom corpo técnico, mas péssimos políticos; temos a Marina Silva, aquela que faz a “nova política”, que é igual à velha, com um discurso café com leite, com posicionamento dúbio e fraco, inconstante, bíblico (no sentido de ser interpretado de ‘n’ formas distintas).

Essa eleição está estranha. Fomos testemunhas de uma morte trágica de candidato. Da ascenção de uma candidatura fraquíssima e da queda livre depois da queda da máscara. De uma candidatura de oposição com algum potencial ser mais uma vez incapaz de se definir como oposição, apesar de todo discurso em contrário.

Enfim, está difícil decidir o voto. No primeiro turno é mais fácil, mas o voto do segundo turno tem, no momento, três possibilidades e nenhuma consegue convencer.

Revolta da Revolta

Tão revoltada quanto um trem
Que descarrila sem ninguém
Juventude, eis que vens

Essa inocência indecente que trazes contigo
Com a violência do fogo amigo
Ficou impressa nos estilhaços dos vidros

Esse falso Che do iê-iê-iê
Esse presidente do DCE
Esse partido da TV
Essa cereja é você

Não percebes que és o cavalo manco
Vestindo o antolho da revolução-furada?
Estás no meio do lixo vestindo branco
Enquanto atiras pedras na brigada

Linux, Ubuntu, Unity

http://unity.ubuntu.com/

Falem mal do Unity, falem mal do Ubuntu, mas eu gosto. Linux no desktop feito de maneira fácil, as lenses do 12.10 ficaram muito massa e o Unity é limpo, te mostra o que precisas ver e te ajuda a encontrar muita coisa.

Usei o Ubuntu 5.04, o 7.10 só voltei a usar no 10.04. Como meu micro vem com Windows e placa da nVidia, relutei a instalar o 12.04 e, quando o fiz, deu merda. Mas com o 12.10 a coisa ficou muito melhor. Digo com orgulho, GOSTO do Ubuntu e do Unity.

Quem não gosta tem outras opções, Fedora, OpenSUSE, Mint (foi meu desktop um dia). Enfim. Linux está na moda e é bom aproveitarmos. :D

We don’t need ‘no education’…

Conheço um colégio que tem como valores: ética, justiça, partilha, verdade e cidadania, tudo isso definido em um texto de pretensões institucionais tão bonito, e enfadonho, e mentiroso. Nessa escola fictícia os pais têm razão, os professores, sujeição, os dirigentes, não.

Não consigo conceber generalizar o caso fictício particular a toda instituição educacional do país, mas também não consigo deixar de me preocupar com a quantidade de lugares semelhantes que existem por aí. Como as gerações X e Y (vulgo gerações do oba-oba) estão educando seus filhos? A partir de quando o aluno passou a sempre ter razão? Quem permitiu que os valores fossem tão invertidos a ponto da palmatória ser abolida (e com razão) e a violência verbal e física contra os professores fosse tolerada e quase banalizada?

A resposta eu não sei. Mas sei que está errado e que:

Hipocrisia não é ética.
Tratamento desigual e covarde não é justiça.
Monopólio do tempo livre não é partilha.
A educação oferecida não é verdade.
Totalitarismo não é cidadania.

http://www.youtube.com/watch?v=lwTpZpwjtIE